Página inicial O que acontece Unoesc participa de programa do Instituto Sírio-Libanes de Ensino e Pesquisa
Não categorizado Joaçaba

Unoesc participa de programa do Instituto Sírio-Libanes de Ensino e Pesquisa

A partir deste semestre, a Unoesc passou a integrar um programa de apoio a escolas médicas do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, de São Paulo. Trata-se do CMIRA, iniciativa baseada em metodologias ativas de ensino-aprendizagem, na avaliação formativa e somativa, na mobilização estudantil e na internacionalização da escola médica. O programa envolve 17 instituições […]


A partir deste semestre, a Unoesc passou a integrar um programa de apoio a escolas médicas do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, de São Paulo. Trata-se do CMIRA, iniciativa baseada em metodologias ativas de ensino-aprendizagem, na avaliação formativa e somativa, na mobilização estudantil e na internacionalização da escola médica.

O programa envolve 17 instituições de ensino de várias regiões do País, mas a Unoesc é a única de Santa Catarina. A Instituição está participando de uma das ferramentas de ensino propostas: a CCI (Casos Clínicos Integradores), em que casos clínicos são analisados e discutidos por meio de videoconferência com a participação de alunos e professores de todas as universidades, sob a mediação de um professor do Instituto Sírio-Libanês.

A estratégia de aprendizagem usada nessa ferramenta é a Team-based Learining (TBL), que foca-se na aplicação de conceitos diante da necessidade de tomar decisões para resolver problemas. Não se trata de uma estratégia nova (foi desenvolvida em 1970 pelo norte-americano Larry Michaelsen), mas o Instituto Sírio-Libanês é o primeiro a utilizá-la de forma tão abrangente, por meio de videoconferências que conectam alunos de inúmeras instituições de ensino.

Na prática, os alunos de cada turma, em cada universidade, são divididos em equipes e precisam responder a uma questão proposta a partir de um caso clínico. A primeira resposta é individual, mas depois precisa ser dialogada e acordada dentro de cada equipe. Ao final, todos os participantes conhecem a resposta correta e podem discutir sobre essa resposta e as demais alternativas, sempre sob a mediação do Instituto Sírio-Libanês.

O primeiro encontro aconteceu na última segunda-feira (24), mas serviu apenas para apresentar a proposta de trabalho aos alunos. As atividades iniciam efetivamente no dia 10 de março, quando começam as reuniões semanais por videoconferência que vão se estender por todo o semestre, tratando, a cada semana, de um caso clínico de uma das grandes áreas da Medicina: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Saúde da Família.

– Do ponto de vista de conteúdo, é uma experiência fantástica para os alunos que estão cursando o Internato Médico – afirma o professor Antônio Euclides Pereira de Souza Junior, que esteve recentemente no Instituto Sírio-Libanês junto com a professora Josiane Magda Camarotto Dagostini. Os dois participaram de uma capacitação para a implantação do programa na Unoesc.

Alunos que estão cursando entre a 8ª e a 10ª fase do Curso de Medicina da Unoesc podem se inscrever durante o mês de março para participar do programa neste semestre. Para isso, precisam se matricular no componente curricular complementar TBL.

Avaliações e estágios

Com a participação da Unoesc no CMIRA, os alunos também poderão passar por duas ferramentas de avaliação: o teste de progresso individual, que será aplicado aos que participarem da CCI, e o ADEM+, que poderá ser feito por todos os alunos da Universidade que estejam cursando a partir do terceiro ano e também pelos egressos formados nos últimos dois anos. O ADEM+ é uma avaliação desenvolvida pelo National Board of Medical Examiners (NBME), que tem mais de 100 anos de tradição em avaliação em Medicina, e validada pelo Comitê Brasileiro de ADEM+.

– É mais uma ferramenta de avaliação de aprendizado, desenvolvida por uma instituição de credibilidade e que serve, inclusive, para termos um padrão de internacionalização na qualidade do curso – diz o professor Antônio.

Outro benefício do programa é a possibilidade de participar do Estágio Observador, ferramenta por meio da qual o estudante que participa do CCI pode buscar um estágio no Hospital Sírio-Libanês. A duração é de um mês em um dos setores do hospital, sendo que o aluno pode ficar por maior tempo se conseguir combinar estágios em mais de uma área médica.

– Esta é uma parceria muito importante para o Curso de Medicina, pois o Hospital Sírio-Libanês é um centro de excelência, reconhecida nacionalmente e até fora do País – comenta o professor Antônio.

Receba as novidades da Unoesc

Usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento. Para mais detalhes, leia nossa política de privacidade.